terça-feira, junho 14, 2011
Até quando Deus?! Normalmente é essa pergunta que nos fazemos quando temos que esperar por uma coisa que nos parece extremamente necessária e, por alguma razão, ela não vem.


Ontem li um texto que me ajudou muito entender esse questionamento e gostaria de compartilhá-lo com vocês!




Até quando?


 Até quando te esquecerás de mim, Senhor? Pra sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto?
Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo?
Atenta em mim, ouve-me, ó Senhor, meu Deus; alumia os meus olhos para que eu não adormeça na morte;

para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários se não alegrem, vindo eu a vacilar.
Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação; meu coração se alegrará.
                                                                       Cantarei ao SENHOR, porquanto me tem feito muito bem.



Depois de entregar minha vida a Deus ainda cheguei a discutir Ele e a gritar: Até quando, Senhor? Até quando vou continuar desempregado? Não tinha paciência e a inquietação tomava conta de mim. Naqueles momentos, minha oração seguia esse modelo de cobrança do salmo 13 (acima).perguntava a Deus se Ele me esquecera, se não via que deixei de praticar coisas ruins. Por que minha vida não mudava enquanto outros, que não se importam com Deus, viviam tão bem? A ansiedade me dominava - uma sensação terrível, como estar com fome e não encontrar comida onde ela deveria estar. Sofria porque esperava ser atendido no mesmo dia e a tristeza tomava conta de mim - e clamava: Até quando, Senhor? Olha pra mim, não suporto mais essa humilhação, me dê uma luz - não aguento mais!

Hoje creio que o Senhor também deve ter perguntado "até quando" - até quando esse servo impaciente ficará reclamando? Um dia, depois de discutir dessa forma, li o seguinte na Bíblia: " Para que vocês venham a  ser filhos de seu Pai que está nos céus, porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos (Mt 5.45). Aqui percebi a razão de tudo o que acontecia: que minha vida cristã não tinha a ver com meus problemas e a vida boa dos outros. Se você está inquieto e perturbado, converse com Deus de uma forma diferente: antes de orar, humilhe-se diante de Deus. E esqueça o que possam dizer sobre prosperidade do cristão: esta está muito mais em ter paz com Deus e com o próximo. Não olhe tanto em torno, mas veja se Deus realmente habita em sua vida. Se for assim, você terá sempre motivo de alegria no Senhor. Pode-se ter tudo e do bom, mas quem não se relaciona intimamente com o dono de tudo não tem o maior e o melhor.


Temos de entender que o Senhor sabe o momento certo de nos presentear com uma benção.


Até quando? Até o melhor momento para você - e que Deus conhece perfeitamente.

Fonte: Livro Pão diário

0 comentários:

Pesquisa aí!

Quem sou eu

Minha foto
Uma jovem que percebeu que não podia fazer nada sem Deus.
Tecnologia do Blogger.

Faça Parte!